Carnaval colombiano é tema do primeiro bazar do Adus de 2017

Mutirão da Saúde reúne centenas de refugiados
6 de fevereiro de 2017
Amigo Rackel Correa
27 de fevereiro de 2017
Mostrar tudo

Carnaval colombiano é tema do primeiro bazar do Adus de 2017

Festa foi recheada de integração entre nações e delícias da Colômbia

Texto: Alethea Rodrigues / Fotos: Fabiana Ferraresso

O Carnaval no Adus começou mais cedo. A celebração foi no último fim de semana, 18 e 19 de fevereiro, durante o primeiro bazar deste ano. A ideia foi entrar em ritmo de festa e celebrar esta data tão especial à moda colombiana. A festa de Barranquilla foi escolhida como tema do 11º bazar, realizado na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo.

Além da decoração carnavalesca, o evento trouxe os sabores da culinária colombiana. Os convidados puderam saborear delícias como arepas, limonada com coco, chips de banana e o famoso picado, tudo feito por Yoder Vargas. “É a minha segunda participação nos eventos do Adus. Me ajuda financeiramente, consigo praticar o português e ainda me dá mais energia para continuar batalhando. Quero muito montar meu próprio negócio”, contou Yoder, que está no Brasil com a esposa há menos de um ano.

A culinária foi só uma das atrações. Artesanatos feitos por refugiados vindos da África, lindos quadros pintados pelo haitiano Dady Simon e perfumes árabes produzidos pelo sírio Anas Obeid, fizeram do nosso bazar um evento em que todos os convidados puderam ter contato com outras culturas, além de conhecerem um pouco mais a história das famílias assistidas pelo Adus. É o caso da professora de antropologia Valéria Macedo. Em sua primeira visita ao bazar, ela opinou sobre a importância de um evento como esse. “Adorei o trabalho do Adus. É super importante promover essa integração entre nós e essas pessoas que estão chegando e precisam ser carinhosamente acolhidas”.

O dinheiro das vendas realizadas pelos refugiados expositores fica com eles. Já a venda de roupas, calçados e acessórios doados ao Adus serve para ajudar a manter a sede do Instituto. O objetivo é melhorar e ampliar o atendimento aos refugiados, solicitantes de refúgio e pessoas em situação análoga ao refúgio que procuram a instituição.

Comments are closed.