ACNUR adverte Conselho de Segurança sobre situação “aterrorizante” da Síria

Pesquisa sobre perfil dos refugiados será feita por CONARE, Ipea e ACNUR
22 de abril de 2013
Adus e Atados celebram dia mundial do refugiado com festa junina
9 de junho de 2013
Mostrar tudo

ACNUR adverte Conselho de Segurança sobre situação “aterrorizante” da Síria

Na última semana, o Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados, António Guterres, advertiu o Conselho de Segurança da ONU que, se o conflito na Síria não for encerrado em breve, quase metade dos 20,8 milhões de cidadãos sírios poderão terminar este ano precisando de ajuda humanitária.

Em vídeo gravado para a sessão do Conselho de Segurança, Guterres afirmou que 400 mil pessoas deixaram a Síria nas últimas sete semanas, elevando a população de refugiados registrados ou esperando pelo registro para 1 milhão 367 mil 413 pessoas. Segundo ele, se esta tendência se confirmar, até o fim deste ano podem haver mais de 3,5 milhões de sírios refugiados, além dos 6,5 milhões de pessoas no interior da Síria precisando de ajuda.

(Foto: ACNUR)

“Os números são terríveis”, disse. “Além de assustador, pode se tornar insustentável. Não há maneira de responder adequadamente às necessidades humanitárias de tantas pessoas. É difícil imaginar como uma nação suporta tanto sofrimento”.

“Como Alto Comissariado para Refugiados, sei que deveria limitar minhas observações ao mandato da agência que lidero”, acrescentou, “mas como cidadão do mundo não posso deixar de perguntar: não há maneira de parar esta luta e abrir espaço para uma solução política?”

Guterres disse ao Conselho de Segurança que a necessidade de recursos para operações humanitárias tornou-se tão urgente que os governos precisam acionar mecanismos para aprovar investimentos extraordinários, evitando sobrecarregar a capacidade internacional de resposta ao conflito. Ele alertou ainda para a crescente pressão que a crise está exercendo sobre os países da região.

“O primeiro passo é que a comunidade internacional apoie substancialmente os dois países mais afetados pelo conflito sírio – Jordânia e Líbano”, disse Guterres. Ele também observou o impacto da crise sobre a Turquia, que forneceu mais de US$ 750 milhões em assistência direta a mais de 300 mil refugiados do conflito sírio.

“Ajudar os países vizinhos a lidar com as consequências humanas deste terrível conflito é crucial para manter a estabilidade de toda a região. Esta não é apenas mais uma crise de refugiados – o que acontece na Síria e países vizinhos tem implicações em escala global”.

Na última quinta-feira, o Kuwait tornou-se o mais recente país a doar recursos para contornar a crise humanitária, fornecendo US$ 110 milhões como parte de um pacote de financiamento de US$ 275 milhões para as Agências da ONU. A doação é a maior já feita por um país do Golfo e significa que o ACNUR já recebeu 50% do valor solicitado para atender refugiados e  deslocados sírios durante o primeiro semestre de 2013.

Fonte: ACNUR

Deixe uma resposta