ACNUR lamenta profundamente assassinato de refugiado Somali em Dadaab
2 de janeiro de 2012
Falhas de política para refugiados aumentam xenofobia na Itália
2 de janeiro de 2012
Mostrar tudo

ACNUR distribui utensílios de inverno para mais de 200 mil afegãos

Mais de 200 mil afegãos deslocados estão recebendo utensílios de inverno na medida em que as temperaturas no país empobrecido caem abaixo de zero.

Na terça-feira, o Alto Comissariado da ONU para Refugiados (ACNUR) e seus parceiros distribuíram cobertores, lonas plásticas, agasalhos e combustível para mais de 300 famílias no distrito de Dahsabz, em Cabul.

(Foto: Acnur)

“Esta assistência conjunta durante o inverno é vital para refugiados retornados e deslocados internos, que são especialmente vulneráveis durante o frio inverno nas montanhas do Afeganistão”, disse Jamaher Anwary, o Ministro Afegão para Refugiados e Repatriação (MoRR).

Peter Nicolaus, Representante do ACNUR no Afeganistão, listou os beneficiários: “Mulheres chefes de família, famílias com idosos ou pessoas com necessidades especiais e famílias com muitos filhos. Em outras palavras, famílias muito pobres ou carentes que necessitam fortemente do nosso apoio”.

Entre essas pessoas está Makai, mãe solteira de seis filhos que recebeu cobertores, roupas e outros suprimentos para o inverno, além de dois sacos grandes de carvão e farinha. “Esses presentes significam tudo para minha filha caçula e para mim”, disse a uma funcionária do ACNUR. “Eu sou a única pessoa da família com idade para trabalhar, mas minha última filha nasceu recentemente e não consegui achar trabalho por causa disso. Muito obrigada pelo apoio de vocês, nós precisamos dele desesperadamente”.

Até o momento, famílias nas áreas de Nimroz, Paktika, Paktia, Zaranj, Balkh, Faryab, Samangan, Jawzjan, Sar-i-Pul e Baghlan já receberam os suprimentos de inverno. As famílias vulneráveis que vivem nas províncias das regiões central, leste e sul receberão a assistência em breve.

No total 34.500 famílias, somando 200 mil pessoas, receberão suprimentos como cobertores, lonas plásticas, agasalhos, luvas, meias, sapatos a prova d’água, gás e carvão para que se protejam do duro inverno afegão.

Os suprimentos tiveram que ser adquiridos e previamente transferidos para áreas remotas, como Badghis e Ghor, onde fortes nevascas podem dificultar o acesso às famílias necessitadas.

Como nos anos anteriores, a assistência do ACNUR se concentra em áreas rurais isoladas e zonas de difícil acesso que podem não ser frequentadas por outras agências humanitárias. O ACNUR vem solicitando aos doadores, incluindo aos do setor privado, que direcionem suas doações às comunidades necessitadas como os deslocados internos em Ghazni ou os refugiados recém retornados ao país em Logar e Wardak.

Desde a queda do governo do Talibã ao final de 2001, o ACNUR ajudou aproximadamente 4.6 milhões de refugiados afegãos a retornar a casa de forma voluntária. Atualmente, cerca de três milhões de refugiados afegãos registrados ainda vivem no Paquistão e no Irã.

A atual situação no Afeganistão – com falta de trabalho, comida, moradia e segurança em certas regiões – dificulta a permanência dos retornados em suas vilas. Aqueles refugiados que desejam voltar a casa tem poucos incentivos para fazê-lo.

Juntamente com o ACNUR, o governo afegão está comprometido com um processo consultivo envolvendo os vizinhos Irã e Paquistão para desenvolver uma estratégia de soluções plurianuais para os refugiados afegãos. Tal estratégia será apresentada à comunidade internacional em abril de 2012.

Por Mohammed Nader Farhad em Cabul, Afeganistão

Fonte: ACNUR

Deixe uma resposta