ACNUR e parceiros buscam US$ 193 milhões para ajudar refugiados sírios

Soldados do Exército sírio buscam refúgio na Turquia
27 de junho de 2012
Cessação para refugiados angolanos e liberianos pode alterar perfil do refúgio no Brasil
8 de julho de 2012
Mostrar tudo

ACNUR e parceiros buscam US$ 193 milhões para ajudar refugiados sírios

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados e mais de 40 organizações humanitárias fizeram nesta quinta-feira um apelo pela criação urgente de novos fundos para atender refugiados sírios na Jordânia, Líbano, Turquia e Iraque.

O plano original era arrecadar US$ 84,1 milhões. No entanto, diante do aumento do número de refugiados, seriam agora necessários US$ 193 milhões para prestar assistência aos aproximadamente 100 mil sírios. Enquanto o montante é mais que o dobro apresentado no plano original, lançado em março deste ano, mais pessoas continuam deixando a Síria.

(Foto: ACNUR)

“Governos e comunidades de acolhida no Iraque, Jordânia, Líbano e Turquia mostraram generosidade e hospitalidade para com os refugiados”, disse Panos Moumtzis, coordenador regional do ACNUR para os refugiados da Síria. “É essencial que a comunidade internacional intensifique seu apoio para as operações de assitência”.

Nos últimos três meses, agências humanitárias em países vizinhos a Síria têm registrado a chegada de, em média, 500 pessoas por dia. O novo plano indica que até o fim de 2012 podem existir até 185 mil sírios – recém-chegados e já estabelecidos como refugiados – em busca de proteção e assitência nos países vizinhos.

Moumtzis apontou que em torno de 75% dos refugiados sírios são mulheres e crianças. “A maioria é inteiramente dependente de ajuda humanitária”.

Na Jordânia e no Líbano grande parte dos refugiados vive em comunidades de acolhida. Na Jordânia, um número pequeno está em um centro de trânsito próximo a fronteira. Na Turquia, os refugiados da Síria estão vivendo em campos mantidos pelo governo. No Iraque, a maioria está na região do Curdistão e há um aumento do fluxo de pessoas em direção a Domiz, ao norte da província de Dohuk.

Incialmente previu-se que 1.500 sírios iriam para o Iraque. Entretanto, em meados de junho, mais de 6 mil sírios já tinham sido registrados no norte do país. Os últimos levantamentos indicam aumento de chegadas nas regiões centrais e no sul do Iraque. No mês passado, o governo regional do Curdistão decidiu que todos os refugiados sírios deveriam ser instalados em campos, cerca de 70% esperam realocação no campo de Domiz.

Especificamente para o Iraque, o novo plano prevê recursos para abrigo, registros, proteção, alimentação, saneamento, apoio em serviços de sáude e educação destinados aos refugiados em campos, como também assistência para aqueles que estão em áreas urbanas.

Na Jordânia, mais de 27 mil refugiados sírios foram registrados pelo ACNUR. Insituições locais estimam que cerca de 50 mil pessoas estejam recebendo assistência. Refugiados registrados têm acesso aos serviços de saúde e as crianças podem frequentar as escolas locais. O plano anunciado nesta quinta-feira identifica as principais necessidades dos refugiados na Jordânia, entre elas acesso a renda, utensílios domésticos, serviços de saúde, água, saneamento, alimentação e educação. Também está previsto o apoio às comunidades que acolhem os refugiados.

No Líbano, mais de 29 mil refugiados sírios estão sendo assistidos. Muitos foram acolhidos por famílias solidárias que se empenham em suprir suas necessidades. Ainda assim os refugiados passam por algumas privações, como circular livremente, ter acesso a alimentação, itens domésticos básicos, abrigo, cuidados médicos, educação e apoio psicossocial.

Na Turquia, 33 mil refugiados sírios estão em acampamentos nas quatro províncias fronteiriças de Hatay, Sanliurfa, Gaziantep e Kilis. Os recém-chegados são rapidamente realocados em campos montados pelas autoridades do país com o apoio do  Crescente Vermelho Turco. O novo plano prevê assitência aos refugiados e assessoria técnica ao governo turco, além do apoio ao crescente número de iraquianos e somalis que deixaram a Síria e estão na Turquia.

O plano é resultado dos esforços coordenados de 44 agências nacionais e internacionais envolvidas na assitência aos refugiados sírios na Jordânia, Iraque, Líbano e Turquia, que atuam também no apoio às comunidades de acolhida nestes quatro países. Entre as agências estão o ACNUR, a Organização Internacional para Migrações (OIM), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Programa Alimentar Mundial (PAM), bem como os governos anfitriões e as ONGs locais e internacionais.

O ACNUR e seus parceiros continuam prestando assistência aos cerca de 90 mil refugiados, principalmente iraquianos, em diferentes partes da Síria.

Fonte: ACNUR

Deixe uma resposta