Culinária de Angola, Colômbia e Síria agitam 2º Bazar Solidário do Adus

Refugiados se tornam professores de cursos de idiomas e cultura em São Paulo
8 de junho de 2015
Estilista sírio sonha em voltar a trabalhar na área de moda
20 de junho de 2015
Mostrar tudo

Culinária de Angola, Colômbia e Síria agitam 2º Bazar Solidário do Adus

Evento teve produtos, comidas, arte e muita música para embalar o fim de semana

Hayde Maquese mostra o Makondo, prato angolano que serviu no 2º Bazar Solidário do Adus” width=

Asmaa Syofi estava cansada, mas feliz com o resultado do bazar. “Compramos e preparamos comida para os dois dias de evento, pra umas 500 pessoas. Mas tudo acabou só no primeiro dia”, conta sorrindo. A refugiada síria participou da 2ª edição do Bazar Solidário do Adus vendendo comidas típicas do seu país, ao lado da família.

Centenas de pessoas passaram pela Casa da Cidade, na Vila Madalena, para comprar roupas, sapatos, livros e acessórios, além de provar pratos sírios, de Angola, Colômbia e praticar o bem, já que o valor da venda das comidas ficou integralmente com os refugiados participantes.

Hayde Maquese, esposa do chef angolano Bantu Tabasisa, gostou de ter participado pela primeira vez do Bazar. O cantinho Mama Nsenga apresentou o Makondo na loso, prato feito com frango. “Valeu a pena. Gostei do público, de tudo. Vendemos nossa comida e também nossa pimenta natural Ndungu”, explica.

Comida e Música
O público também pode conhecer um pouco mais da cultura síria com o cantor Fady Sharief, que soltou a voz nos dois dias do evento: “Gostei muito do Bazar. As pessoas são super legais e o ambiente é ótimo. E veio bastante gente hoje (domingo)”, comentou Sharief.

Patrícia Costa Ferreira aproveitou o dia para dar uma passadinha no Bazar: “Comprei uma carteira da Síria, linda, um CD, experimentei a comida e uns docinhos. Amei tudo e os preços são ótimos!” Mariana Marceli também elogiou os preços: “Vim aqui pela primeira vez e adorei. Comprei umas roupas e vou experimentar a comida. Gostei de vir porque os preços estão muito legais”.

Debora Faria já pensa na próxima edição: “Estou levando um dicionário de inglês e duas blusas lindas. Foi a primeira vez que vim ao Bazar. Gostei muito, é incrível conhecer outras culturas e poder comprar coisas a preços ótimos. Volto, com certeza, ao próximo Bazar”.

Há quatro meses no Brasil, o colombiano Arturo Cardenas aproveitou a oportunidade para mostrar o sabor do seu país. Ele optou por preparar arepas colombianas. “Hoje está indo super bem. Talvez esta seja uma maneira de ganhar a vida. As pessoas estão gostando, tenho vendido bastante”. E emenda:”O processo de chegada ao Brasil não tem sido fácil: vim com R$ 3 no bolso, dois filhos e sem saber falar português. Dá para imaginar como é difícil”.

A 2ª edição do Bazar do Adus só foi possível graças às doações recebidas, além de parceiros de longa data como a Casa da Cidade, Góoc, Marta Tanaka e novos, como Pernambucanas, LongIsland, Layr e Estúdio Sandra Salem.

Texto: Erika Omori/Natalia Ramos Miranda / Fotos: Eva Bella

Comments are closed.