Em novo endereço, Bazar do Adus aumenta número de expositores

Veja como foi o workshop com Talal Al-tinawi e Bel Coelho
26 de setembro de 2016
Nota do Adus em relação à detenção de estrangeiros no espaço “Conector”
28 de setembro de 2016
Mostrar tudo

Em novo endereço, Bazar do Adus aumenta número de expositores

Texto: Alethea Rodrigues / Fotos: Eva Bella

Nem o friozinho do fim de semana impediu que os visitantes viessem de várias partes da cidade

No últimos dias 24 e 25 de setembro, o Adus – Instituto de Reintegração do Refugiado – promoveu mais uma edição do Bazar Cultural, só que dessa vez em casa nova. O evento foi realizado em uma mansão no Jardim América, zona sul de São Paulo. E essa não foi a única novidade. A intenção do evento foi mesclar expositores refugiados e brasileiros para que ocorresse uma interação ainda maior entre as culturas.

Cada convidado mostrou seu talento de uma forma: por meio da culinária, arte, ou venda de produtos típicos dos seus países de origem. Anas Obaid participou do Bazar pela primeira vez. Ele tem trinta anos e veio da Síria sozinho há pouco mais de um ano. Jornalista de formação, hoje participa de feiras e eventos vendendo perfumes árabes feitos na hora e uma variedade de produtos do Oriente Médio. Segundo Anas, o convite para participar do Bazar foi extremamente importante. “É uma maneira de divulgar o meu trabalho, ajudar a complementar a renda. Além disso, é uma boa oportunidade para fazer mais amigos brasileiros e praticar o meu português”, contou.

Os pratos típicos da Síria também foram destaque no evento. O casal Alexandre e Emanuele experimentou pela primeira vez o famoso falafel, bolinho frito de grão de bico. Não faltaram elogios. “Estava uma delícia. É a nossa primeira vez aqui, mas com certeza iremos nos próximos. A oportunidade de conhecermos outras culturas também foi incrível”, finalizou Alexandre.

Os convidados aproveitaram a visita para conhecer o bazar de roupas, acessórios, livros e DVDs, tudo obtido por doações e sendo vendido a preços acessíveis. Como nas outras edições, o valor arrecadado é destinado às melhorias no atendimento aos refugiados e à manutenção do Instituto. Foram 45 voluntários envolvidos nessa causa, cada um doando um pouco de tempo e carinho, para que o evento fosse um sucesso.

 

Comments are closed.