Apesar de algum envolvimento do governo brasileiro e do início da construção de uma cultura política em torno das questões concernentes aos refugiados, muitos problemas ainda necessitam ser equacionados. A falta de políticas efetivas que busquem inserir solicitantes de refúgio e refugiados no mercado de trabalho, e a carência de espaços de acolhida, quando de suas vindas ao país, são exemplos de que ainda há muito a ser realizado para que essas pessoas possam se integrar de forma efetiva à sociedade brasileira.

Com a finalidade de cumprir sua missão nesse contexto, as atividades realizadas pelo Adus – Instituto de Reintegração do Refugiado – Brasil, serão direcionadas a seis frentes principais, para as quais foram constituídos projetos específicos: Ensino de Português, Trabalho e Renda, Facilitador Social e Saúde Mental.

Ensino de Português

Projeto para que os refugiados possam, minimamente, falar, ler e escrever em português, possibilitando a eles melhores condições para que se integrem à sociedade local.

Trabalho e Renda

Projeto para auxiliar na inserção dos refugiados no mercado de trabalho, tornando-os autossuficientes e capazes de reconstruir suas vidas de maneira autônoma e independente.

Facilitador Social

Projeto para reduzir os obstáculos encontrados pelo refugiado em seu processo de reinserção social por meio do acompanhamento individual e do acolhimento do refugiado considerando suas diversas necessidades.

Saúde Mental

Projeto para contribuir para a integração social de refugiados e solicitantes de refúgio no país de acolhida por meio da redução de traumas psicológicos e transtornos emocionais, levando em conta seu contexto cultural e de migração.

Junte-se a nós!

Você também pode nos ajudar a continuar mudando a dura realidade dessas pessoas! Envolva-se nessa causa conosco!