RELATÓRIO ADUS 2016

O Adus – Instituto de Reintegração do Refugiado, é uma organização sem fins lucrativos que atua no Brasil desde 2010, com o principal objetivo de dirimir os obstáculos existentes para a integração do refugiado em território brasileiro.

Atendemos cerca de 2000 refugiados oriundos de 58 nacionalidades, por meio dos esforços de um grupo que conta com mais de 300 voluntários. Ouvimos as mais diversas histórias de superação, resiliência e determinação, no que tange a uma luta diária de inclusão e busca de oportunidades melhores para suas vidas e famílias. Os mais de 20 milhões de refugiados ao redor do mundo carregam histórias que não cabem em suas bagagens. Garantir-lhes dignidade e condições para exercer o direito à vida e seu desenvolvimento deve ser a premissa que orienta políticas de acolhimento e integração.

Neste contexto, o Adus oferece serviços que promovem e garantem os direitos e integração de refugiados, apoiando-os no acesso ao mercado de trabalho, à educação, à moradia, à saúde, ao crédito, à assistência social e a outros direitos. Promover a integração trata-se, portanto, de uma oportunidade para gerar um desenvolvimento saudável da sociedade civil, da democracia e na manutenção do patrimônio multicultural e multiétnico que configura a diversidade brasileira.

A partir daí, desde 2015, com a criação do Programa de Advocacy do Adus, buscamos monitorar o tema do refúgio com afinco, tanto no contexto local em que estamos inseridos (cidade de São Paulo), quanto nos cenários nacional e internacional. Nosso objetivo é entender os caminhos do refúgio, os problemas e dificuldades que os refugiados enfrentam no processo de integração no Brasil, os marcos normativos, as políticas públicas e governamentais que resultam na garantia de direitos humanos para os refugiados no país.

Esperamos que este relatório seja útil para que a sociedade como um todo entenda melhor a temática e que, juntos, possamos transformar o conhecimento adquirido em prol da criação e desenvolvimento de marcos regulatórios, políticas públicas e outras ações institucionais e culturais, que visem garantir uma maior integração dos refugiados na sociedade brasileira, cumprindo cada vez mais com o papel que o Adus desempenha no país.

Marcelo Haydu, Diretor Executivo

Integração do refugiado: aspectos culturais, sociais, religiosos e políticos
O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados busca dirigir e coordenar ações internacionais em busca da proteção e do auxílio às pessoas que se veem obrigadas a se deslocar de seu local de origem…
Fluxos Migratórios no Brasil: evolução recente e desafios
Determinar a quantidade de imigrantes no Brasil com precisão não é uma tarefa simples. Em meados de novembro de 2015, havia 1.917.713 pessoas cadastradas no Registro de Estrangeiros, o que corresponde a pouco menos de…
A proteção do refugiado no sistema internacional: evolução histórica e regulação internacional
O direito internacional dos refugiados consolida-se, especialmente, após as duas guerras mundiais que marcaram a primeira metade do século XX. Sua expansão e aprimoramento…

A Guerra Civil na Síria e o refugiado sírio no mundo
O conflito na Síria tem causado uma das maiores e mais violentas crises humanitárias do mundo, arrastando-se por cinco anos e vitimando centenas de milhares de vidas, a maioria civis não combatentes. O sofrimento e o medo forçaram…

Refugiados da África no Brasil: Conflitos em Angola, República Democrática do Congo, Senegal e Nigéria
Pesquisadoras do Adus buscaram informações sobre conflitos no continente africano que deram origem aos maiores números de solicitações de refúgio no Brasil…

O Reconhecimento e tratamento do refugiado ambiental: o caso dos haitianos no Brasil
O deslocamento humano é um fenômeno que se apresenta desde os primórdios: o instinto de sobrevivência faz o homem buscar o melhor local para seu desenvolvimento. As antigas sociedades…

Refugiado e Psicologia: a experiência da fuga e da reintegração no estrangeiro
Segundo o Guia de Intervenção Humanitária do Programa de Ação Mundial em Saúde Mental, formulado em conjunto pela Organização Mundial da Saúde e a Agência da Organização das Nações Unidas para Refugiados…

Breve análise sobre as barreiras impeditivas para o acesso aos serviços públicos pelos refugiados
Com o objetivo mapear os principais serviços públicos oferecidos aos refugiados e as barreiras encontradas por eles ao acessá-los serviços, pesquisadoras do Adus investigaram como sua carência…

As faces da discriminação ao refugiado: aspectos étnicos, religiosos e culturais
Qualquer discriminação que promova desigualdade e injustiça em detrimento ao desenvolvimento social atenta contra a dignidade humana e, assim, contra legalidade. Marco na proteção a liberdades…

EXPEDIENTE

ADUS – Instituto de Reintegração do Refugiado
Diretor executivo: Marcelo Haydu.
Diretor financeiro: Sidarta Borges Martins.
Equipe Advocacy
Coordenação-geral: Salomão Cunha Lima.
Coordenação de pesquisa e conteúdo: Hugo Arruda.
Coordenação editorial: Camila Verbisck Alcântara Bonfim.
Membros: Carla Mustafa, Daniel Merege, Joice Barbaresco.
Estagiários: Beverly Rachel Goldberg, Cameron Kesinger, Hugo Giovodan, Kim Von der Heide, Samantha Isaia, Samuel Helmey.
Pesquisa e redação: Adriana Dantas, Bruno Pegorari, Caitlin Delich, Camila Fassarella, Caroline Donegá Cavallari, Catherine Elisabeth Galli, Daniela Avelaneda Origuela, Diana Amorim, Géssica Brandino Gonçalves, Guilherme Gonsales Rocca, Glória Branco, Fernanda Balbino, Flávia Ciaplinski, Flávia Fernandez, Jacqueline Feitosa, Juliana Miranda Rocha, Joana Miranda, Letícia Born, Ligia Beduschi, Maíra Martins, Marcelo Colus Sumi, Mariana Corallo M. de A. Kuhlmann, Marina Pastore, Martin Egon Maitino, Mauro Arima, Nathália Volpini Martins, Paula Danese, Roberta de Morais Mazer, Talita Alessandra Tristão, Uolli Briotto, Viviane Alves Vieira, Fernanda Buniya, Bárbara Costa, Danielle Antonio Ferreira, Natália Saab Sesquim, Renata Vieira de Assis.
Projeto gráfico e diagramação: Raquel Botelho.
Edição, ilustração e tratamento de imagens: Rodrigo Gomes.
Revisão e edição: Raquel Cambaúva e Luísa Lima.