Refugiados na RD Congo manifestam interesse de trabalhar em Angola
12 de junho de 2011
Crianças celebram Dia Mundial do Refugiado em Manaus
14 de junho de 2011
Mostrar tudo

Show com artistas em Madri arrecada fundos para refugiados da Líbia

MADRI, Espanha, 9 de junho (ACNUR) – Dez mil fãs de música pop se reuniram no Palácio Vistalegre, em Madri, para ouvir estrelas como James Blunt, Enrique Iglesias e Kate Ryan e apoiar as operações de ajuda, desenvolvidas pelo Alto Comissariado da ONU para Refugiados (ACNUR), às pessoas forçadas a fugir da Líbia.

A sétima edição do Primavera Pop Festival, que acontece anualmente, começou na última sexta-feira e, além de arrecadar fundos para os refugiados, também ajudou a conscientizar o público jovem sobre o tema. 

(Foto: ACNUR)

“Ficamos muito agradecidos pela iniciativa solidária dos organziadores do evento em apoiar o ACNUR no seu 60º aniversário”, disse a representante da agência na Espanha, Maricela Daniel. “É uma ótima oportunidade para aproximar os jovens da causa dos refugiados”,  acrescentou a representante.

A expectativa é de que o show arrecade por volta de 50 mil euros, quantia que o ACNUR vai destinar à proteção e à assistência de milhares de pessoas deslocadas pelo persistente conflito na Líbia.

Além das atrações principais, outros artistas e bandas, como Alexandra Stan, Carlos Jean y Nana, Dani Martín, Despistaos, El Pescao, La Musicalité, Macaco, Maldita Nerea, Melendi, Malú, Mohombi, Robert Ramírez, Soraya, Taio Cruz e The Monomes também marcaram presença no evento.

O embaixador da boa vontade do ACNUR, Jesús Vázquez, que é um apresentador de TV popular na Espanha, mandou um vídeo para os fãs e artistas e falou sobre a situação dos refugiados.

Muitos artistas também se uniram à campanha do ACNUR “Calce os sapatos dos refugiados”. Eles gravaram mensagens de apoio e posaram para fotos com as camisetas da campanha. Os vídeos serão lançados na Espanha no próximo dia 20 de junho, celebrado mundialmente como o Dia Mundial do Refugiado.

O conflito na Líbia começou em fevereiro, produzindo um fluxo massivo de pessoas – com quase 1 milhão fugindo para países como Tunísia, Egito, Chade, Níger e Argélia.

Maria Jesus Vega em Madri, Espanha

Fonte: ACNUR

Deixe uma resposta