Refugiados árabes chegam cada vez mais doentes à Europa
25 de maio de 2011
SME dispõe de condições para recepção de refugiados angolanos
25 de maio de 2011
Mostrar tudo

Sobreviver num país vizinho

De uma Somália em guerra que atravessa uma terrível seca para campos sobrelotados do Quênia. Este é o drama de milhares de somalis que tentam a todo o custo sobreviver

Os campos para refugiados do nordeste do Quênia estão no limite das suas capacidades. Porém, o número de cidadãos somalis a necessitar de asilo é cada vez maior, devido à seca e à intensificação dos conflitos. “O campo de refugiados de Dadaab continua a receber um número significativo de recém-chegados”, confirma Emmanuel Nyabera, porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados. Chegam exaustos, depois de terem efectuado longos percursos a pé, que podem chegar aos mil quilômetros.

O campo de Dadaab é o maior do mundo. Em meados do mês de maio, contava mais de 348 mil pessoas, quatro vezes mais do que a sua capacidade. Grande parte são cidadãos somalis. E, apesar de lá conseguirem uma relativa segurança, viver nos campos é muito difícil. Comem pouco. Para conseguir água é preciso andar quilómetros, o que nem sempre seguro para as mulheres; os serviços de saúde são escassos. Porém, Dadaab continua a ser a única hipótese para os milhares que fogem para garantir a sua sobrevivência.

Fonte: Fátima Missionária

Deixe uma resposta