UNICEF faz 1ª entrega de alimentos a crianças vítimas da seca na Somália

Erupção do vulcão Lokon força a retirada de 4.600 pessoas na Indonésia
17 de julho de 2011
Vôos de emergência do ACNUR levam tendas para assistir refugiados somalis
19 de julho de 2011
Mostrar tudo

UNICEF faz 1ª entrega de alimentos a crianças vítimas da seca na Somália

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) enviou neste sábado, por meio de avião, alimentos e remédios para crianças que sofrem de desnutrição no sul da Somália, em meio à pior seca enfrentada registrada na região em 60 anos.

A entrega, feita na cidade de Baidoa, a noroeste da capital Mogadíscio, foi a primeira desde que o grupo militante islâmico Al Shabaab – que controla boa parte da Somália – derrubou seu veto ao trabalho conjunto com agências de ajuda humanitária.

(Foto: Reuters)

A representante do UNICEF para a Somália, Rozanne Chorlton, disse que a sua equipe teve acesso total às localidades atingidas, o que, segundo ela, deve servir como estímulo para outras agências humanitárias.

“Eles (os militantes islâmicos) deram garantias de que o nosso acesso com propósitos humanitários ocorreria sem impedimentos e que nós poderíamos chegar às pessoas que mais precisam de ajuda”, disse Rozanne à BBC.

A agência humanitária da ONU entregou cerca de 5 toneladas de suprimentos, entre alimentos e medicamentos.

Rozanne Chorlton afirma que o sucesso da entrega de ajuda significa que mais envios de mantimentos para a região serão realizados futuramente.

No entanto, a representante do UNICEF afirmou que a situação na região chega perto da escassez total de água e comida.

A seca na região leste do continente africano, conhecida como Chifre da Africa, é considerada a mais grave a atingir a região em 60 anos, sobrecarregando campos de refugiados em países da região.

Refugiados

O ministro britânico para o Desenvolvimento Internacional, Andrew Mitchell, disse, após visitar campos de refugiados no Quênia, que novas ajudas de emergência para as vítimas da seca terão como alvos mulheres e crianças do interior da Somália, em uma tentativa de evitar a superlotação dos acampamentos.

No entanto, Mitchell disse que o governo britânico não irá lidar diretamente com o Al Shabaab. O ministro está visitando campos de refugiados na cidade de Dadaab, no nordeste do Quênia, a 100 quilômetros da fronteira com a Somália.

Três campos de refugiados em Daabab estão abrigando um total de 370 mil refugiados, quando seu limite seria de 90 mil pessoas.

Em algumas regiões da Somália, uma em cada três crianças sofrem de desnutrição grave, segundo estima o UNICEF.

Fonte: BBC Brasil

Deixe uma resposta